Georgiana e Bernardo apoiam diversas instituições públicas Brasileiras, tais como:  MAM Museu de Arte Moderna de SP - Conselho , Pivô - Conselho, Pinacoteca do Estado SP - Patrono. Internacionalmente, estão também associadas a entidades de renome como: Patrono AnnexB, Conselho Internacional New Museum, Nova Iorque, Comite Media e Performance - MoMA, Nova Iorque, bem como uma série de projetos editoriais:

01/

Produção do livro

X–Range, Regina Vater, 2017

da IKREK

X-Range foi concebido por Regina Vater e publicado originalmente em 1977 pela Galería Artemúltiple, em Buenos Aires, Argentina. Esta reedição do projeto visa colocar novamente em circulação essa obra, que marca as práticas do período e que se tornou também um documento. Em um único objeto, agrega práticas experimentais de Vater e o ambiente doméstico de artistas como Hélio Oiticica, John Cage, Lygia Clark e Vito Acconci.

Regina Vater [Rio de Janeiro, 1943] vive e trabalha no Rio de Janeiro. Representada pela galeria Jaqueline Martins. Individuais recentes: Oxalá que dê bom tempo, MAC Niterói [Niterói, RJ, 2017]; Regina Vater Quatro Ecologias, Oi Futuro [Rio de Janeiro, 2012]. Participou da Bienal de São Paulo [1969].

02/

Produção do livro de Mabe Bethonico - série Ponto e Virgula da IKREK

Mabe trabalha com arquivos e instituições, criando ficções e viabilizando debates por meio de publicações, palestras e instalações. No livro, conta a história de T.S., suíço que teve grande exposição na cena artística brasileira, mas que foi apagado da história oficial. Mabe reúne uma farta documentação sobre o pintor, mas aplica uma tarja branca sobre seu nome.

Mabe Bethônico [Belo Horizonte, 1966] vive e trabalha em Belo Horizonte. Representada pelas galerias Celma Albuquerque, Marília Razuk. Individuais recentes: BR 122: notícias de viagens à caatinga, Mariliza Razuk [São Paulo, 2016]. Participou da Bienal de São Paulo [2006 e 2008].

03/

Produção do livro de Thiago Honório - série Ponto e Virgula da IKREK

O artista é obcecado pelo acúmulo e inventário de objetos carregados de história e costuma trabalhar com o que chama de “transplante de superfícies”. Em Augusta, mapeia a gentrificação da famosa rua de São Paulo.

Thiago Honório [Carmo do Paranaíba, MG, 1979] vive e trabalha em São Paulo. Representado pela galeria Luisa Strina. Individuais recentes: Solo, Luisa Strina [São Paulo, 2017]; Trabalho, MASP [São Paulo, 2016]; Títulos, Paço das artes [São Paulo, 2015].

04/

Produção do livro de Marilá Dardot - série Ponto e Virgula da IKREK

Marilá Dardot atua em entrelinhas da literatura, do texto. Trabalha com a palavra e o tempo. No Dicionário, os verbetes escritos por Rodrigo Moura, Ana Martins Marques, Gonçalo M Tavares e Fabio Morais, correspondem a temas que orbitam a produção da artista.

Marilá Dardot [Belo Horizonte, MG, 1973] vive e trabalha em Lisboa. Representada pelas galerias Filomena Soares, Vermelho. Individuais recentes: Interdito, Galeria Filomena Soares [Lisboa, 2017], Guerra do Tempo, Chácara Lane [São Paulo, 2016]; Diário, Sesc Paladium [Belo Horizonte, 2015]. Participou da Bienal de São Paulo [2010].

05/

Produção do Livro SEÇÃO de Marcius Galan, organizado por Rodrigo Moura

“Seção” é a primeira monografia sobre a obra de Marcius Galan e tem como ponto de partida a ideia de fragmento, extraído da própria obra do artista. O livro é organizado por Rodrigo Moura que produziu um ensaio distribuído ao longo do livro, de modo a criar diferentes capítulos e blocos de imagens temáticos.

Além do ensaio principal, uma entrevista concedida a Kiki Mazzucchelli procura dar conta de aspectos decisivos de sua obra ao revisitar trabalhos do início de carreira e apontar para temas como funcionalidade e a subversão dos sistemas de representação, que atravessam toda a sua obra. Um texto de Manuel Cirauqui ‘A área de Marcius’ observa o ateliê do artista e suas ferramentas como modelo para compreensão de sua linguagem.